Cultura

Conhecendo o mundo através de presépios

Cleunice Pellenz
Escrito por Cleunice Pellenz

Diversas peças estão em exposição no Museu do Imigrante, com o intuito de resgatar o verdadeiro sentido do Natal

É tradição em várias regiões do mundo a montagem do presépio na época de Natal. Eles podem variar em tamanho e materiais usados, bem como na representação de cada país. Por isso, até o dia 31 de janeiro de 2019, a comunidade de Bento Gonçalves e de toda a região pode prestigiar e visitar a exposição “Presépios no Mundo ANEA Brasil”, no Museu do Imigrante, e conhecer mais sobre a história de cada um deles.

Quando chega o Natal, é costume de várias culturas montar os presépios, sendo que o primeiro do mundo foi feito de argila por São Francisco de Assis, em 1223, em Greggio, na região de Piemonte, na Itália. Elaborada pelo Museu do Imigrante e pela Associação Nacional dos Emigrados e Ex-Emigrados das Américas e Austrália (ANEA Brasil), com curadoria de Ademir Gugel, a mostra apresenta diversas representações dos presépios de diferentes países como, Itália, Equador, Canadá, Rússia, França e Estados Unidos, feitos com materiais como papel-cartão, terracota, cerâmica vitrificada, rolha, madeira vidro murano, entre outros. “Queremos mostrar o real sentido desta data. Todos eles são iguais em todo o mundo, apenas mudam as representações, de acordo com o país de origem”, pontua o curador, Ademir Gugel.

De acordo com ele, é momento de resgatar esse símbolo tão bonito e importante para o Natal. “Dentro de nossa cultura, a questão dos presépios foi herdada de nossos antepassados. Os pais tinham a preocupação de montá-lo e passar uma mensagem importante na época natalina. Os presépios vêm com o intuito da humildade e tudo que a gente herda com muito carinho e amor”, identifica.

Muitas das peças são de arquivo pessoal, outras tantas são de amigos e afins que o auxiliaram neste momento especial e deixaram tudo ainda mais bonito. “Os presépios estão na memória afetiva das pessoas, fazem parte das famílias, antigamente, mesmo os mais humildes, que não possuíam condições financeiras de adquirir as imagens da família sagrada, elaboravam o próprio presépio com galhos secos, santinhos e argila”, esclarece.
A visitação pode ser feita de terça a sábado das 8h30min às 11h30min e das 13h30min às 17h30min.Mais informações pelo telefone (54) 3451-1773 ou pelo e-mail museudoimigrante@bentogoncalves.rs.gov.br. A entrada é gratuita.

Sobre o autor

Cleunice Pellenz

Cleunice Pellenz

geral5@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário