Saúde

Comércio de mercúrio está proibido no Brasil

Da Redação
Escrito por Da Redação
Medida põe em prática resoluções de convenção internacional para reduzir contaminação causada pelo elemento químico

Para reduzir os riscos de contaminação de pessoas e do meio ambiente pelo mercúrio, o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiram a produção, importação e venda de termômetros e aparelhos de pressão que contêm colunas de mercúrio. O texto entrou em vigor na terça-feira, 1º de janeiro.

A medida segue as determinações da Convenção de Minamata, assinada pelo País. O texto foi debatido no âmbito das Nações Unidas e foi reconhecido por 140 países em 2013 para reduzir o uso do mercúrio em vários itens, como pilhas e lâmpadas por exemplo. Contudo, produtos usados em pesquisas científicas e/ou para calibrar instrumentos, não foram atingidos pela proibição.

Isso porque o elemento químico pode provocar problemas neurológicos e na tireoide a longo prazo. Quem já possuir os equipamentos com mercúrio pode continuar a utilizá-los, com os devidos cuidados. O Ministério da Saúde pretende iniciar uma campanha para recolhimento dos equipamentos com mercúrio, mas ainda não há data prevista.

Se houver acidentes com termômetros em casa e as bolinhas de mercúrio se espalharem, o ideal é isolar o local para evitar que crianças tenham contato com o material e abrir as janelas para arejar o ambiente. Além disso, para juntar as bolinhas, a recomendação é usar algum material, como papel cartão, para evitar a contaminação e guardá-las em um recipiente resistente de plástico ou vidro.

Fonte: Governo do Brasil
Foto: Arquivo/ACPD

Sobre o autor

Da Redação

Da Redação

redacao@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário