Esportes

Com desfecho inesperado no final da partida, Farrapos fica com o segundo lugar do Super 8

Lucas Delgado
Escrito por Lucas Delgado

No embate que daria o título brasileiro inédito a uma das equipes envolvidas na decisão, em Blumenau, Farrapos e Jacareí protagonizaram um jogo emocionante, equilibrado e com direito a uma reviravolta no final. Dessa vez, o título ficou com a jovem equipe paulista, que venceu por 18×15.

(Ao fim do texto, confira a galeria de fotos da decisão do Campeonato Brasileiro de Rugby XV)

A final inédita do Super 8 foi vencida pelo Jacareí. Pelo placar de 18×15, os paulistas venceram o Farrapos Rugby Clube nos segundos finais de jogo. Apesar disso, os bento-gonçalvenses avaliam o ano como positivo. O repórter Lucas Delgado conversou com o capitão Mauricio Canterle, que ficou de fora do jogo.Mais tarde, mais informações.

Publicado por Jornal Semanário em Domingo, 24 de setembro de 2017

O capitão Maurício Canterle fala sobre a partida e o saldo deste ano especial para o Farrapos Rugby.

A grande final do Campeonato Brasileiro de Rugby XV foi composta por dois times que debutavam em decisões nacionais. Ambas subverteram a tradição de outros clubes que faziam parte desta edição do Super 8 – Pasteur e Desterro, derrotados nas semifinais por Jacareí e Farrapos, por exemplo, somam quase 6 décadas de vida. E a inédita decisão foi à altura das expectativas geradas pelas excelentes campanhas dos finalistas.

Com mando neutro, no Estádio do Sesi, em Blumenau, as equipes contaram com o apoio de suas torcidas. Os bento-gonçalvenses foram apoiados por cerca de 60 torcedores munidos de bandeirão do Rio Grande do Sul, bandeirolas com o distintivo do time e muitas manifestações verbais; os paulistas também deixaram sua marca e solidariedade aos atletas jacareienses. E se o apoio das arquibancadas foi de intensidade semelhante, dentro de campo a característica se manteve.

Torcida do Farrapos apoiou a equipe no Estádio do SESI, em Blumenau (Foto: Lucas Delgado).

No início da partida, muito estudos por parte dos atletas. A primeira possibilidade de pontuação foi do Jacareí. Léo – o vice-artilheiro do torneio – desperdiçou um penal, o que deixou o placar zerado. Na sequência, o Farrapos usou e abusou do jogo físico, como é característico. Na sequência, foi a vez do principal pontuador do Super 8, Facundo Flores, tentar anotar os primeiros pontos. E conseguiu com o penal perfeito.

Mauricio Frisson aproveitou a falha do Jacareí próximo do in-goal (Foto: Lucas Delgado)

A vantagem física do Farrapos seguiu. Mesmo com a falha em uma tentativa de um novo penal, os gaúchos conseguiram ampliar a vantagem. Ângelo chutou a bola para frente, o atleta Leo, do Jacareí, soltou a bola próxima à linha do in-goal, e Mauricio Frison fez o primeiro try da partida – convertido por Facundo. A vantagem somente diminuiu na última ação do jogo, com penal acertado por Leo, o que possibilitou a ida para o vestiário sem placar zerado: 10×3 para o Farrapos.

Segundo tempo

Os 40 minutos finais igualmente equilibrados, mas com algumas diferenças. O poderio ofensivo do Farrapos diminuiu, e o Jacareí passou a atuar mais no campo de ataque. De início, Léo acertou sua nova tentativa de ir para os paus em penal marcado pelo árbitro. O Farrapos rapidamente respondeu com try de Lafa após efetivo line-out gaúcho. A partir daí, com placar em 15×6, o Jacareí passou a tomar conta de vez das ações ofensivas do jogo, fazendo um belo duelo com a defesa bento-gonçalvense.

Jogadores do Jacareí levantaram, pela primeira vez, a taça do Super 8. (Foto: Lucas Delgado)

Entretanto, com pouco menos de 2 minutos para o fim da partida, os Jacarés impuseram muita pressão para cima dos gaúchos. Matheus Cláudio anotou um try – sem conversão -, diminuindo a diferença para apenas uma posse de bola. Já no limite do tempo, o Jacareí recuperou a bola e fez mais um try com Cruz – convertido por Leo. Com isso, o Jacareí virou o jogo para 18×15 e a partida foi encerrada.

Campanhas semelhantes e título ao líder da primeira fase

O placar garantiu o inédito título para o Jacareí. Ao fim da partida, os integrantes do Farrapos lamentaram muito a derrota nos instantes finais, mas, após o choque por conta o revés , enalteceram a campanha do time neste Super 8.

O diretor técnico do Farrapos Rugby Clube, Bruno Barreto, acredita que o nível da partida evidencia o potencial das duas equipes. “O reflexo do que foi o campeonato foi esse jogo. Muito equilíbrio, as duas equipes com um nível muito alto. Nos orgulhamos da nossa campanha”, explica. Barreto também lamentou o resultado alternado nos instantes finais. “Foi duro porque ganhamos por quase toda a partida e no final deixamos escapar. Isso pesa bastante no nosso emocional pela maneira que foi. Porém tenho certeza que daqui uns dias já estaremos olhando de outra forma por conta do excelente ano que fizemos. Nos orgulhamos disso e no ano que vem buscaremos fazer o melhor”, complementa.

Maurício Canterle, usualmente capitão do Farrapos, mas que estava fora da partida, também acredita que o ano teve saldo positivo. “Fomos superiores em quase todas partidas neste Super 8. Não perdemos nenhum jogo em casa. Não é da noite para o dia que se chega em uma final nacional e, por isso, estamos contentes pelo que o time mostrou em campo”, finaliza.

O Farrapos termina o Super 8 com sete vitórias e três derrotas – a última, na decisão; o Jacareí, campeão, teve uma vitória a mais que o Farrapos. Facundo Flores, jogador do alviverde de Bento Gonçalves, foi o artilheiro deste Campeonato Brasileiro de Ruby XV.

Sobre o autor

Lucas Delgado

Lucas Delgado

esporte@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário