Andressa Borges

Chá de sumiço

Andressa Borges
Escrito por Andressa Borges

A gente sempre arruma um tempo para o que está interessado. Não significa responder no mesmo minuto, mas responder genuinamente um bom dia, curtir uma foto, pedir se está tudo bem, compartilhar uma lembrança. Porém nem todos estão interessados ou dão prioridade. E tentamos entender e justificar o lado alheio, porém quão difícil é apenas desapegar, mudar o foco e seguir em frente em silêncio.

Me pergunto porque as pessoas somem depois de terem compartilhado momentos tão íntimos, depois de terem contado sobre sua família, seu cachorro, depois de terem revelado segredos e de terem te levado até a sua casa. Muita gente diz que temos que deixar pra lá ou simplesmente pedir uma satisfação que nunca é satisfatória. “Estou trabalhando muito, fiquei sem bateria, dormi”. Me ajuda a dormir por duas semanas seguidas, pelo amor de Deus!

Quando duas pessoas se dedicam e trocam energias através de algum tipo de relacionamento, talvez não esperem nada em troca, só que a recíproca seja verdadeira! Parecemos pessoas sendo entrevistadas para um emprego do qual nunca teremos um retorno, nem positivo, nem negativo. Chato isso.

Se você achou que aqui teria uma resposta ou um conselho, pare de ler. Estou aqui é pedindo socorro porque é sério, não sei lidar com esse tipo de gente. Não sei dizer se é melhor deixar pra lá ou falar o que sente. Um lado meu diz que sempre é melhor sermos sinceros porque o mundo seria tão melhor assim, não é? Outro lado meu diz: “de novo, sua trouxa, afff….”. E lá vai meu anjo da guarda jogando tudo para o alto novamente e indo reclamar para o Chefe.

Talvez eu não desista fácil e as coisas só mudem depois que eu desistir mesmo. A incerteza é companheira e acho que isso é o que dá o frio na barriga de sempre. Espero um dia encontrar seres humanos que digam “não quero mais isso”, “não quero mais aquilo”, que não finjam se entregar, que não finjam empatia, porque essas pessoas acham que todas são iguais. Mas talvez o outro se IMPORTE.

Ninguém é obrigado a gostar de você, ou a estar do seu lado. Pode dizer sem medo e não precisa demonstrar ao contrário. Ninguém morre por causa disso. Morre por causa da sua imbecilidade.

Sobre o autor

Andressa Borges

Andressa Borges

diagramacao@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário