Assunta De Paris

CDL – 50 anos

Assunta De Paris
Escrito por Assunta De Paris

“O homem, na sua atividade diária, faz história. Porém, ainda não se conseguiu pensar, qualificar, nem sequer dar o justo valor e reconhecimento pelo braço forte e benefícios que o imigrante trouxe a esta terra.

E é por isso que rendo esse especial tributo aqueles que aqui plantaram as sementes da esperança e da prosperidade.

Quero externar os meus agradecimentos a todos aqueles abnegados que deram continuidade aos sonhos dos pioneiros e construíram, com determinação, o comércio de Bento Gonçalves.

O vasto Oceano de negócios que hoje é a nossa comunidade tem muitas lágrimas e de suor desses pioneiros.
Quero manifestar o meu agradecimento a todos aqueles que tiveram a iniciativa para compor esta obra, a qual resgatou um importante pedaço da nossa história.” Sr. Hilário Caetano Pozza – no lançamento do livro “A trajetória do comércio de Bento Gonçalves – nos 25 anos de CDL.

A arte de comerciar, certamente, nasceu junto com o homem. Que, já antes de se comunicar por meio de palavras usava sua versatilidade para propor através de mímicas, trocas que interessavam às duas partes.

A maneira de comerciar mercantilisticamente, visando lucro e consequentemente poder, surgiu séculos antes de Cristo, quando os femícios saíram de suas fronteiras e passarm a trocar riquezas com os outros povos.

No final da segunda metade do século passado, premiados pelas condições sócio-econômicas desfavoráveis em suas terras de origem, milhares de imigrantes italianos, alemães, árabes, poloneses, suecos, entre outros, procuraram o Brasil como terra da promissão.
Entre esses pioneiros, certamente, estava presente em muitos deles, o espírito fenício que, na primeira oportunidade que surgia, aflorava na forma do estabelecimento de um balcão de negócios, de uma bodega, de um pequeno armazém de secos e molhados.

A partir daí, sem nunca impedir a entrada de novos negociantes de outras origens étnicas no setor do comércio, multiplicaram-se e cresceram as casas comerciais e a partir delas, num novo aflorar do espírito fenício, passaram a surgir as primeiras oficinas artesanais de ferramentas e utensílios, explodindo o nosso município na maravilhosa realidade de sua pujança comercial e industrial, hoje reconhecida nacional e internacionalmente.

A história da saga desses comerciantes, desde seus primórdios até os dias de hoje, precisa ser registrada e isso é um registro no percurso dos 50 anos da Câmara de Dirigentes Logistas de Bento Gonçalves.

Sem dúvidas será um marco de referência para as gerações que viverão o futuro grandioso da antiga Colônia Dona Isabel, hoje exuberante Bento Gonçalves.

Sobre o autor

Assunta De Paris

Assunta De Paris

Historiadora e colunista do Jornal Semanário há 30 anos.
redacao@jornalsemanario.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário