Cultura

Bento Gonçalves passa a contar com uma orquestra

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

Desde a segunda-feira, 6 de maio, Bento Gonçalves passou a contar com uma orquestra. A Fundação Casa das Artes deu início aos ensaios com  a participação de 15 músicos e um maestro regente. O novo projeto tem como objetivo oferecer para a comunidade mais uma forma de evidenciar a cultura. A criação da Orquestra na Fundação Casa das Artes se insere dentro do projeto Bento in Concert que possui uma preocupação que aliou uma parcela da população com formação em música instrumental e outra parcela em formação, ou seja, estudantes de música. “A inserção de futuros músicos, que saem de projetos de educação básica de música, para um mecanismo de aperfeiçoamento técnico. Abre com isso novo campo de trabalho para músicos recém-formados, principalmente numa cidade do interior do Estado do Rio Grande do Sul”, ressalta o Secretário de Cultura, Evandro Soares.

Segundo Soares, a escolha dos músicos foi realizada através de audições, que culminaram com a seleção dos participantes. São eles: Alisson Seben, percussão, Carlos Henrique Gheno Zanella, violão, Fábio Ricardo Campos Chagas, violoncelo, Felipe Foresti, violino, Julio Cesar Maccali, violino, Leandro Cousseau, flauta transversa, Leandro Perin, violoncelo, Luiz Carlos Zeni Junior, flauta transversa, Mateus Frigheto, violino, Rodrigo Duarte Maciel, violino, Zorzin Franceschini, violoncelo, Stela Scarmin, viola, Thiago Freitas Dos Santos, clarinete, Tiago Fernando Andreola, contrabaixo, e Vinícius Rodrigues, violino.

Para o maestro Gilberto Salvagni fomentar a audição e prática da música instrumental, junto à comunidade, por meio de apresentações da Orquestra, visa-se a formação de novas plateias promovendo no meio escolar o conhecimento e a importância da música para formação do capital cultural do ser humano.

Salvagni, que nasceu em Garibaldi, é bacharel em música com ênfase composição pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Alem da formação acadêmica, participou de diversos festivais onde conheceu e cursou master class com diversos nomes da música erudita e popular do Brasil e de outros países. O maestro já atuou como instrumentista em orquestras, conjuntos e grupos de câmara do estado, como arranjador para orquestras e bandas e como produtor em diversos CD de artistas do Rio Grande do Sul. Já teve suas composições executadas por várias orquestras e bandas do estado e algumas obras executadas por grupos da Espanha, Hungria e Estados Unidos. Compôs e produziu trilhas sonoras para curtas-metragens, entre outras atividades.

Fonte: Assessoria de Comunicação
Foto: Jose Martim Estefanon

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário