Esportes

Bento-gonçalvense se aventura em prova de Mountain Bike no Chile

Lucas Delgado
Escrito por Lucas Delgado

Aproximadamente três anos de experiência com a bicicleta e uma virada de planejamento: essa é a apresentação de Evandro Salvaro, de Bento Gonçalves. Há pouco tempo, ele passou a treinar com a intenção de participar de competições. E assim o fez. Entre os dias 17 e 21 de janeiro, o ciclista de 33 anos participou do Transandes Challenge, tradicional prova de mountain bike realizada no Chile.

A ideia de atuar em uma competição que reunia grandes atletas profissionais – ou seja, que vivem exclusivamente do esporte – surgiu na reta final de 2017, de acordo com Salvaro. “Eu comecei a pedalar em 2015 com o pensamento de fazer cicloturismo. Acampar e pedalar para conhecer lugares. Porém, a rotina de trabalho não permite isso e, ao comprar uma nova bicicleta, há cerca de quatro meses, decidi fazer competições mais curtas”, explica o representante de Bento Gonçalves, que trabalha no ramo moveleiro.

O Transandes Challenge foi dividido em cinco etapas para as disputas de mountain bike. Nelas, estiveram presentes ciclistas de 25 países. As provas foram realizadas na zona cordilheira de Araucanía e Los Ríos. As etapas foram feitas na reserva privada de Huilo Huilo (onde ocorreram os acampamentos nas primeiras etapas) e Pucón, cidade turística que recebeu a última prova.

Nos três primeiros dias de disputas, cujas largadas aconteciam no acampamento, os ciclistas passavam por paisagens naturais de destaque. Fizeram parte das rotas vulcões em locais de grande altitude – o Chile possui a segunda maior cadeia vulcânica ativa do mundo. “Eu ganhava mais energia ao passar por pontos naturais muito bonitos. Era um grande incentivo e dava força para seguir, afinal o roteiro percorrido era muito desgastante por conta das distâncias e inclinações”, relembra Salvaro.

As dificuldades e o intercâmbio

Por conta do pouco tempo de preparação, Evandro Salvaro já imaginava que teria muitas dificuldades. Entretanto, os percalços das rotas eram tantos que tornaram dificultoso o trabalho de todos. “Foi muito desgastante por conta da inclinação do terreno. Os ciclistas profissionais comentavam que a prova era dura para todos, independente do nível de experiência”, relembra. Salvaro indica que sofreu com as baixas temperaturas nas primeiras participações – que giravam em torno de 5ºc – e as consequências fisiológicas causadas pela elevada altitude, afinal, em um mesmo dia, subia-se mais de mil metros.

Ciclistas passaram por diversos vulcões das cordilheiras chilenas – Foto: TAC

Nas adversidades, mesmo em uma competição, surgiram as comunhões. Houve constante intercâmbio de informações entre os atletas participantes. Além disso, a ajuda no empréstimo de equipamentos acontecia constantemente entre nas provas. “Quando tive problema com o câmbio da bicicleta, recebi emprestado o reserva de outros atletas. Eu emprestei remendos de pneus para companheiros argentinos. É um seguida troca de equipamentos e de conhecimento”, exalta o bento-gonçalvense.

Mesmo com todas as dificuldades nas trilhas, os problemas adquiridos ao longo destas e a falta de preparo mais completo, Evandro Salvaro atingiu um bom resultado, de acordo com a sua visão. Nas cinco etapas, o ciclista percorreu 295 quilômetros em aproximadamente 23h de pedalada – o que garantiu a ele a 47ª posição na categoria. “Eu fui para o Transandes Challenge com a expectativa baixa, para participar. E fiquei surpreso com o resultado por mim obtido. Foi uma grande experiência para a minha vida pessoal e também como atleta”, comemora.

Evandro Salvaro deve voltar às provas de grande dificuldade ao fim do ano. Está nos planos a participação no Brasil Ride, no Arraial D’ajuda, na Bahia. A competição tem sete dia de duração e oferece como grande adversidade o calor. Ela acontece entre os dias 21 e 27 de outubro.

Fotos: TAC, Divulgação

Sobre o autor

Lucas Delgado

Lucas Delgado

esporte@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário