Geral

A importância da logística reversa

Fábio Becker Loppe
Escrito por Fábio Becker Loppe

Esse é o tópico central de um projeto universitário que visa distribuir coletores de resíduos em Bento Gonçalves

O crescimento populacional e, consequentemente, do consumo tem acarretado ao mesmo tempo uma geração, cada vez maior, de resíduos sólidos urbanos, muitas vezes descartados de forma incorreta. É pensando em conscientizar a população sobre o problema, além de destacar a importância do respeito as políticas de logística reversa, que um grupo de universitários da FSG de Bento Gonçalves, coordenados pelo professor de administração, Vinícius Zanchet de Lima, desenvolveu o Green Point, projeto que visa distribuir pontos de coleta de resíduos reutilizáveis pela cidade.

De acordo com Zanchet a criação do projeto foi proposto por um grupo de  alunos das disciplinas de “Logística reversa” e “Qualidade e sistema de distribuição de logística”. “A gente quis englobar o conteúdo das disciplinas com o contexto social, passando para a sociedade a importância desse lixo retornar para o destino correto”. Segundo ele, por mais que exista uma legislação específica para que as empresas e lojas forneçam pontos de coleta (a Política Nacional de  Resíduos Sólidos (PNRS), Lei n° 12.305/10), uma parcela da população não sabe ou não entende a necessidade de destinar materiais como pilhas, lâmpadas e óleo em pontos de coleta e não no lixo convencional.

 

Conscientizar desde cedo

Em Bento Gonçalves, de acordo com denúncias de moradores, entidades e também levantamentos da Secretaria do Meio Ambiente, o descarte irregular é um problema recorrente em bairros urbanos e do interior; além disso, ainda existe o desrespeito dos empresários à lei da logística reversa (que levou a criação da PLO 100/2018 que propõe maior rigidez nas penalidades, acrescentando multa e cassação de alvará em casos reincidentes). Se ainda existe má vontade por parte de muitos adultos, Zanchet e os universitários que desenvolveram o Green Point, destacam que educar as crianças pode ser um caminho para diminuir os danos ambientais no futuro.

Desta forma, como explica o professor, para além da distribuição dos coletores em pontos estratégicos como escolas, supermercados e postos de gasolina, uma parte essencial do projeto passa pelo diálogo com as crianças nas escolas municipais e estaduais da cidade. “Vamos passar  nos colégios explicando a logística reversa e todo o processo de produção do produto até o retorno do detrito para as empresas”, explica. Conta ainda que além de palestras de sensibilização com os alunos, será feito um concurso artístico para mobilizar e incluir as crianças no projeto. “Cada escola fará um concurso para escolher o melhor desenho que represente o projeto. O ganhador terá seu desenho e nome plotado nos pontos de coleta, além de ganhar um troféu”.

Tiago Sanches, um dos 20 alunos que elaboraram o projeto, conscientizar desde cedo é essencial. “É mais é mais fácil colocar na cabeça de uma criança que em uma pessoa adulta , que já está acostumada com aquele hábito errado”, opina. “A ideia é passar para elas a importância da destinação correta do óleo, por exemplo, de não largá-lo na pia ou no quintal. De que ele deve ser reciclado e transformado em biodiesel.

Para Zanchet, o essencial é mobilizar a fazer com a sociedade compreenda que resíduo é diferente de lixo, afinal é matéria-prima renovável. Explica que a correta destinação ajuda a natureza duplamente: de um lado, diminui a poluição e todos problemas decorrentes desta; e do outro, ameniza a extração de produtos naturais. “O problema é que a sociedade vem consumindo muito e, consequentemente, vai sendo extraído mais matéria prima da natureza para suprir essa demanda, mas com um processo de logística reversa adequado, há mais reutilização e menos necessidade de fabricar produtos novos”, finaliza.

A visitação nas escolas iniciou terça-feira, 5, e vai até o fim de semana. O próximo passos erá escolher o desenho vencedor, que será anunciado no lançamento do projeto, que ocorrerá em evento aberto no dia 22 de novembro, às 19h45, no auditório da FSG de Bento Gonçalves. Na data, também serão distribuídos os pontos de coleta pela cidade.

Sobre o autor

Fábio Becker Loppe

Fábio Becker Loppe

Deixe um comentário