Assunta De Paris

A economia fundamentada na pequena propriedade

“Do trabalho árduo surgiu a esperança de um novo horizonte”.

Vivemos um momento histórico de projeção nacional do que somos hoje, um município de grandes acontecimentos e uma população de trabalho e valores históricos. Porém, não podemos deixar de lado e desconhecer o momento básico da evolução da nossa história.

A região colonial italiana se insere em um contexto amplo de alterações vivenciadas pelo país, a partir da segunda metade do século XIX (19), período em que o imigrante europeu chegou ao Brasil. O encaminhamento do sistema capitalista, isto é, ampliação do mercado consumidor e das necessidades a serem supridas por este, abria espaços que podiam ser preenchidos por atividades econômicas diversas. O grande triunfo do imigrante e seus descendentes, depois de muita luta foi saber preencher com muita competência esses espaços.

Com o imigrante, iniciou-se aqui uma economia camponesa fundamental na pequena propriedade individual e no TRABALHO de produtos independentes. “Rapidamente essa forma de produção se tornou dominante na economia gaúcha originando um processo de industrialização que conferiu a hegemonia dos descendentes de imigrantes”, complementa o historiador Décio de Freitas.

De fato, ao se olhar a história do desenvolvimento das Colônias no estado do RS, se constata que um dos seus segredos encontrava-se não nas grandes indústrias, mas em oficinas, em pequenas propriedades, onde eram raros os peões e os funcionários.

Hoje, as cidades da região formaram o mais importante polo econômico do interior do estado e um dos principais do país. Indústrias por porte em setores tão diversificados predominaram diante da produção agrícola em empresas artesanais dos primeiros tempos. Mas, em todas elas está presente a marca cultural de muito trabalho, de muita fé e um grande esforço para superar as dificuldades…

O TRABALHO É RESPONSÁVEL PARA CONSERVAR A SAÚDE DO CORPO E A PUREZA DA ALMA.
QUERO LEMBRAR A DATA DO DIA DO TRABALHO SAUDANDO A TODOS OS QUE FAZEM DO TRABALHO UMA FORMA DE VIVER A VIDA COM ALEGRIA.

Sobre o autor

Assunta De Paris

Assunta De Paris

Historiadora e colunista do Jornal Semanário há 30 anos.
redacao@jornalsemanario.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário